Trânsito Seguro

Tempo de leitura: 7 minutos

Por Andre Augusto – Óleo na Veia

Consultor em Gestão, Automotivo e Educador de Trânsito. Criador e editor da página Óleo na Veia.

“O aumento da frota de veículos no Brasil, durante os anos, tem acarretado um trânsito caótico, angustiante e agressivo, no qual o desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro e aos próprios participantes deste cenário, vem colocando em risco a vida das pessoas. Porém, algumas ações podem proporcionar um Trânsito Seguro.”

Nas grandes metrópoles, para quem se locomove diariamente nas vias, seja de automóvel, ônibus, a pé e outros meios, as ruas parecem estar mais apertadas. Ou será que a quantidade de veículos tem aumentado?

É inevitável percebermos que a cada dia que passa existem mais veículos nas ruas. Dados do IBGE, sinalizam que a frota de veículos atual é de 51.296.981. Isso mesmo, mais de 51 milhões de veículos transitam no Brasil.

E qual é o resultado disto tudo?

A resposta é óbvia para todos: Um trânsito caótico com congestionamentos constantes nas principais vias, e até nas vias secundárias, das grandes cidades. Isso traz como resultado um aumento no nível de stress de quem precisa enfrentar esta situação todos os dias.

Além do nível de stress elevado, outras consequências vão sendo desencadeadas, como abusos de velocidade, desrespeito e violência entre as pessoas (condutores e pedestres), direção insegura e imprudente, em resumo, podemos afirmar um total desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro e a vida.

Mas esta situação pode ser mudada. Transformar o trânsito em seguro, apesar da quantidade de veículos e pessoas que transitam nas vias, é algo que depende de fatores a serem conhecidos e aplicados por aqueles que partilham o dia a dia nas vias públicas.

Vamos então conhecê-los!

Os brasileiros não podem alegar desconhecimento das leis existentes no país, então, o conhecimento do CTB é obrigatório a todos que transitam pelas vias públicas do território brasileiro, principalmente aqueles que são possuidores de carteira de habilitação e passaram por aulas teóricas e práticas em um Centro de Formação de Condutores, as conhecidas autoescolas.

Este código, em seu artigo 2º, diz que “O trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito …”. Podemos acrescentar que todos têm o direito ao trânsito em condições seguras estando o dever de cumprir o código assumido.

Desta forma, por analogia, definimos que a ação conjunta de todos os atores do trânsito, ou seja, condutores, passageiros, pedestres e órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito, é fundamental para um trânsito seguro.

Importância das Sinalizações

As sinalizações existentes nas vias estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro, e são de suma importância à segurança no tráfego de veículos e pedestres. Elas são responsáveis por organizar e harmonizar o convívio daqueles nas vias.

As sinalizações são representadas por placas, faixas, sinais luminosos, sinais sonoros, gestos e dispositivos auxiliares (cones, por exemplo), e estas devem ser atentadas e respeitadas por quem transita nas vias. Essas sinalizações são de responsabilidade dos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito, e dever de todos obedecê-las. Pois deste modo, a segurança estará em primeiro lugar.

Caso em alguma via ou local não haja sinalização ou ela seja insuficiente, o artigo 72º garante ao cidadão o direito de efetuar uma solicitação aos órgãos competentes. Esta solicitação deve ser por escrito.

Direção Defensiva do Condutor

Pode-se definir dirigir defensivamente como o ato de conduzir o veículo de forma que garanta a segurança do condutor defensivo, dos outros condutores e dos pedestres que transitam nas vias. Isto remete ao respeito da lei de trânsito e ao seu próximo (as pessoas).

Sinalizar corretamente, manter a distância dos veículos próximos, não exceder os limites de velocidades, trafegar nas vias cautelosamente em situações adversas (chuva, neblina, sob luz forte), são alguns exemplos de como ser defensivo ao conduzir um veículo.

Os principais elementos da direção defensiva são:

Conhecimento – conhecer seus direitos e deveres através do Código Brasileiro de Trânsito;

Atenção – ao dirigir toda a atenção do condutor dever estar voltada para a via, as sinalizações, os pedestres e tudo mais que compõe o trânsito;

Previsão – todo condutor deve tentar prever algo que possa acontecer e estar preparado, como por exemplo, passar por uma situação de óleo na pista;

Decisão – o condutor deve conseguir tomar uma decisão, pautada no Código de Trânsito e na sua habilidade, numa determinada situação;

Habilidade – a habilidade se conquista com o tempo e treino da direção. Por isto é importante aprender corretamente a forma de conduzir um veículo e aplicá-la constantemente.

Manutenção do Veículo

O condutor deve ter a consciência que ao entrar num veículo e começar a dirigir, este tem que estar em condições mínimas de segurança, para proporcionar um passeio seguro e agradável. O Código de Trânsito, em seu artigo 27º determina que antes de colocar o veículo nas vias públicas, o condutor deve verificar se este está em boas condições de funcionamento.

A falta de manutenção automotiva pode ocasionar a parada, falha ou mau funcionamento em alguns equipamentos, que colocariam em risco a vida dos passageiros, dos ocupantes de outros veículos e dos pedestres.

Pneus “carecas”, pastilhas de freio gastas, falta de combustível e outros fatores que caracterizam a falta de manutenção dos veículos, são responsáveis por acidentes no dia a dia do trânsito.

Segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária, em 2015, 5% dos acidentes têm motivação em falhas no veículo.

Controle das Emoções

O ser humano é razão e emoção, sendo que numa grande parte prevalece a segunda. E o condutor ao dirigir um veículo não poderia deixar de estar sob a influência das emoções.

Deixar as emoções dominarem quando se está dirigindo não é correto, mas é uma realidade a qual deve-se ter ciência e manter o controle.

As pessoas são capazes de guiarem seus veículos de acordo com suas emoções no dia, o que tornam muitas vezes a direção agressiva, ao invés de defensiva. O acelerador e o volante são acionados por um sentimento e não por uma razão.

Quando falo guiado por emoções, não quero dizer apenas emoções negativas, mas emoções positivas também podem gerar ações imprudentes, como por exemplo, um rapaz que está feliz, mas querendo provar a seus amigos que é “o melhor”, resolve pisar fundo no acelerador para competir.

E aí, verificamos no trânsito um carro “fechando” outro imprudentemente, xingamentos, agressões físicas, acidentes, rachas entre veículos e por aí vai.

Ser racional e não emocional ao dirigir, garante uma direção defensiva e segura.

Voltando ao princípio deste artigo e somando-se todos os fatores relacionados, digo que é possível termos um Trânsito Seguro. Depende apenas de nos conscientizarmos que no trânsito estamos lidando com vidas, que tem o seu valor incalculável.

Ações incorretas no trânsito podem gerar marcas irreparáveis em nossa vida e do nosso semelhante. Marcas estas que podem se estender para as famílias, amigos e outros envolvidos.

Segurança no Trânsito, então, é um direito e um dever nosso, e podemos conquistá-la!

Bibliografia

IBGE. Disponível em <www.ibge.gov.br>. Acesso em 05 de Julho de 2017

DENATRAN. Disponível em <www.denatran.gov.br>. Acesso em 05 de Julho de 2017

DETRAN-RJ. Disponível em <www.detran.rj.gov.br>. Acesso em 05 de Julho de 2017

DETRAN-PR. Disponível em <www.detran.pr.gov.br>. Acesso em 05 de Julho de 2017

Observatório Nacional de Segurança Viária. Disponível em <www.onsv.org.br>. Acesso em 02 de Junho de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *