Arrefecimento do motor

Tempo de leitura: 7 minutos

Arrefecimento do Motor

Graças ao arrefecimento (resfriamento) o motor do teu carro não pega fogo literalmente, os métodos mais comuns são o feito com “água” e com “ar”.

Arrefecimento feito com “água”

O arrefecimento com água é o mais comum no mercado, feita com um radiador, mangueiras, bomba d´água, válvula termostática, líquido do arrefecimento, além dos dutos internos do motor.

Em alguns casos este sistema também engloba a caixa de marchas e o ar-condicionado (aquecedor).

Radiador

O radiador foi inventado por Karl Benz no seu primeiro protótipo em 1885, mas continuava com problemas de evaporação ao operar por horas na cabeça do cilindro, o amigo e engenheiro do Karl Benz chamado Wilhelm Maybach em 1901, desenhou o famoso radiador com colmeias, desenho que persiste até hoje no modelo Mercedes 35 hp.

Nos EUA em 1905 o líquido anticongelante, inventado pelo químico francês Charles Adolphe Wurtz em 1856, começou a ser avaliado para o uso nos carros e em 1914 o anticongelante a base de Etilenoglicol começou a ser fabricado em massa pela “The Union Carbie & Carbon Corporation”, começou a ser usado pela Inglaterra em 1916.

Líquido de Arrefecimento

Desde da invenção do Francês Charles Adolphe em 1856 até nos dias de hoje este composto químico vem permitindo o uso dos motores, mas como ele funciona?

Vamos um pouco de física básica, sabemos que a água ferve a 100º C ao nível do mar e cada 300 m de altitude esta temperatura sobe 1º C  e congela a 0º C, então não devemos usar somente água, basta uma temperatura externa negativa para a água dos dutos do bloco expandirem e partirem o motor, ou ferver a água facilmente.

O líquido de arrefecimento tem a função de diminuir a temperatura de congelamento e aumentar a temperatura da ebulição da água, possibilitando assim o uso dos motores modernos.

Com 50% de etilenoglicol na composição a temperatura de congelamento cai para -33º C e o ponto de ebulição passa do 160º C.

Mas cada motor e cada veículo tem uma temperatura de trabalho diferente da outra, para saber qual é a mistura adequada para teu carro, tem que consultar o manual do proprietário, o site do fabricante do veículo ou alguma tabela de fabricante de líquido de arrefecimento.

 

 

 

Como o circuito interno de refrigeração de um automóvel é feito de partes metálicas, a presença de água pode ser danosa – com o tempo, acaba havendo lenta corrosão, o que pode até causar perfurações, geralmente no radiador.

Além das propriedades que alteram o ponto de fusão e o ponto de ebulição, existem outros componentes químicos adicionados ao líquido de arrefecimento que ajudam a prevenir a corrosão, que evitam a formação de espuma, previnem a cavitação e a formação de depósitos, além dos corantes que são a identidade de cada fabricante, como se fosse um DNA.

Podemos achar o líquido de arrefecimento já misturado com água ou concentrado vendendo no mercado.

Mas lembre-se de que SEMPRE use água DESMINERALIZADA, pois água da chuva, água mineral, água de poço, água da bica e até mesmo água destilada somente, são extremamente prejudiciais ao teu motor.

Mangueiras do Radiador

Existem duas mangueira no radiador, a superior que faz o líquido entrar no radiador, o líquido então desce pelos canais do radiador resfriando e saindo pela mangueira inferior do radiador, algumas mangueiras inferiores possuem uma mola dentro delas, para evitar que quebrem quando a bomba d´água puxa o líquido de arrefecimento.

Também em alguns casos há mais uma mangueira que vai para o aquecedor central, algumas vezes elas saem do bloco, outras de perto de um desvio próximo a válvula termostática.

Válvula Termostática

A função da válvula  é permitir o aquecimento mais rápido do motor e depois regular a temperatura de trabalho do motor através do fluxo do líquido de arrefecimento entre o motor e radiador.

É muito comum alguns “mecânicos” retirarem a válvula termostática, isso nunca deve ser feito, pois o motor sempre trabalhará frio, aumentando o consumo do mesmo, maior emissão de poluentes e possíveis falhas.

Cada tipo de motor trabalha em uma faixa de temperatura e cada válvula tem uma faixa de temperatura, as mais comuns trabalham entre 80º C e 95º C, outras podem chegar a maior temperatura.

Desenho mostrando o funcionamento da válvula termostática, no primeiro a válvula fechada no segundo com o motor aquecido, a válvula aberta totalmente.
Válvula apresentando oxidação e cavitação, provavelmente por falta do etilenoglicol

Válvula Termostática Eletrônica

São controladas pela ECU (Engine Control Unit [Unidade de Controle do Motor] – Unidade de Controle Eletrônico ou também conhecida como “Módulo” aqui no Brasil).

Vaso Expansor

O vaso expansor funciona como um sistema de recuperação do líquido de arrefecimento, geralmente é feito de plástico, mas existem de metal também, possui duas mangueiras, uma ligada ao radiador e outra funciona como ladrão caso transborde, nos modelos mais novos este recipiente é pressurizado, o que pode causar acidentes graves com queimaduras, caso sejam abertos ainda com pressão no sistema.

A tampa quando o recipiente quando pressurizado assemelha ao funcionamento de uma panela de pressão, essa pressurização aumenta o ponto de ebulição do liquido de arrefecimento, em alguns casos podem chegar a 120º C.

Visão da parte interna da tampa, cada veículo possui um tipo de tampa, não é correto intercambiar, tem que ser o modelo específico para cada carro, é muito comum o carro “ferver” por problemas nessa tampa.

Ventoinha

A ventoinha serve para ventilar o radiador quando o veículo não está em movimento, alguns veículo possuem duas ventoinhas, outros duas sendo uma para o ar-condicionado, pode ser mecânica (ligada ao motor) ou elétrica (acionada por comando elétrico da válvula termostática).

Bomba d´Água

Ela funciona puxando o líquido de refrigeração do radiador pela mangueira inferior do radiador e mandando para o motor, em volta das câmaras de combustão dos cilindros e em outros pontos mais quentes do motor, através de dutos ou canais.

O líquido de arrefecimento entra no radiador novamente pela mangueira superior para ser refrigerado novamente. A Bomba d´ Água é acionada por uma correia ligada ao virabrequim do motor geralmente.

Dicas para evitar o superaquecimento

Existem várias causas que podem levar ao superaquecimento, vamos listar algumas delas.

  1. Vazamentos no sistema – Mangueiras furadas, radiador, ou no vaso de expansão.
  2. Correia da transmissão da Bomba d´água gasta ou frouxa.
  3. Bomba d´água defeituosa.
  4. Tampa de pressão do Vaso de expansão com vazamento de ar ou líquido.
  5. Falta de óleo lubrificante no motor [O óleo lubrificante também ajuda no arrefecimento do motor]
  6. Junta de cabeçote gasta.
  7. Falha na ECU no controle do tempo da abertura da válvula termostática eletrônica.
  8. Radiador entupido.
  9. Mangueiras do radiador ressecadas.

LEMBRE-SE – SEMPRE DE DEIXAR O LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO LONGE DO ALCANCE DE CRIANÇAS OU ANIMAIS DOMÉSTICOS É VENENOSO E PODE LEVAR A MORTE!

Falaremos em outro artigo sobre o sistema de aquecimento e do ar-condicionado.

Arrefecimento nos motores tipo Boxer (Air Cooled), muito conhecido pelos motores do Fusca e do Porsche, mas também utilizado em carros de combate, motos e caminhões.

Atrás do motor existe uma ventoinha que é acionada pelo motor através de uma correia, a mesma do dínamo ou alternador, esta ventoinha fica dentro de uma capa que canaliza o fluxo de ar para baixo, para os cabeçotes do motor, que possuem aletas para a refrigeração.

Um belo exemplar de motor de um Volkswagen Fusca

 

11 Comentários


  1. Ótima matéria, aguardo outras. Interessante é o histórico e o texto bem redigido.
    Até mais,

    Luiz

    Responder

  2. Excelente! Até agora estou adorando esse curso, está sendo de muita utilidade pra minha vida, tenho um Peugeot 206 e quero eu mesmo ser o mecânico. Está tudo indo muito bem. Parabéns!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *